sexta-feira, 12 de maio de 2017

A luz que brilhou na África





Vocês são a luz para o mundo. Mateus 5:14.

       Davi Livingstone nasceu na Escócia, em 1813. Criado num lar cristão, desde criança Livingstone amava a Bíblia. Com a idade de nove anos, ele ganhou um Novo Testamento como prêmio por recitar de cor o Salmo 119, o capítulo mais longo das Escrituras.

       Aos dez anos, Livingstone já ajudava no sustento da família, trabalhando numa tecelagem. Nos intervalos, estudava um livro de gramática de latim. À noite, estudava mais um pouco na escola.     Também gostava de excursões por matas e rios, onde verificava a natureza que tanto amava. Gostava de livros de geologia e botânica.

       Com vinte anos, recebeu o diploma de licenciado da Faculdade de Médicos e Cirurgiões de Glasgow, conseguido sem a ajuda financeira de ninguém. Nesse tempo, sentiu desejo de ser missionário na China. Então, conheceu Roberto Moffat, um outro missionário, numa reunião entre cristãos da cidade. Moffat contou-lhe acerca do seu trabalho no interior da África. As histórias daquele homem comoveram o coração de Livingstone. “Há uma vasta planície ao norte – disse Moffat –, onde tenho visto, nas manhãs ensolaradas, a fumaça de milhares de aldeias, aonde nenhum missionário ainda chegou.”

       Após ouvir essas palavras, Davi Livingstone disse para si: “Eu irei imediatamente para a África.”

Livingstone viajou de Glasgow até o Rio de Janeiro e, de lá, para a Cidade do Cabo, na África do Sul. Iniciou-se, então, uma aventura no continente africano, que duraria 40 anos. Davi ficou de cama 31 vezes por causa da febre africana. Teve um encontro com um leão, o que resultou num ferimento em seu ombro que nunca sarou completamente. Mas, acima de tudo, ele foi uma luz na vida de milhares de pessoas.

       Certa vez, Livingstone disse a um grupo de estudantes: “De minha parte, nunca cesso de me regozijar por Deus ter-me apontado tal trabalho.”

       Que a mesma luz que brilhava em Davi Livingstone brilhe em você também!


Nenhum comentário:

Postar um comentário