segunda-feira, 25 de abril de 2016

A história de um sorriso


 


 
 
 
A alegria faz bem à saúde. Provérbios 17:22.

Você crê que um sorriso pode mudar uma vida?

Certo dia, numa rua movimentada de uma grande metrópole, um menino brincava na porta giratória de uma loja. Ele e seus amigos não perceberam quando um carro parou ao lado da loja. Uma senhora bem vestida desceu do automóvel e parou em frente ao menino. Este, por sua vez, abriu a porta para que a madame passasse.

– Muito grata – disse a senhora com um grande sorriso no rosto. Algo na voz e no sorriso daquela mulher impressionou o garoto.

– O que vocês acham disso? – perguntou ele aos amiguinhos. – Ela sorriu para mim e me agradeceu.

Durante o restante do dia, ele se lembrou do incidente e se perguntou: “Por que ela sorriu e falou comigo?” Então, ele pensou: “Por que devo ser apenas um menino de rua? Vou mudar minha vida.”

Ele procurou um emprego e começou a vender jornais na rua. Logo achou um trabalho melhor. E depois foi trabalhar na mesma loja em que havia encontrado aquela senhora que lhe sorriu. Fiel ao seu trabalho, ele foi promovido a outras funções.

Depois de muitos anos, agora já idosa, a mesma senhora abriu a porta e entrou na mesma loja em que sorrira para o menino. Ela se dirigiu ao balcão.

– Lembra-se de mim? – disse o rapaz.

– Não. Acho que não me recordo. Já nos encontramos antes?

– Madame, nos encontramos uma vez nesta porta. Eu era um menino de rua que lhe abriu a porta e recebeu um sorriso de agradecimento.

– Sim! – exclamou a senhora. – Agora me lembro.

– Seu sorriso e suas palavras de gratidão criaram em mim um desejo de mudar minha vida. Senti que eu tinha algum valor.

– Impressionante – disse a mulher comovida.

– Sim, e agora eu quero lhe dizer: muito grato!

 

terça-feira, 19 de abril de 2016

Sócrates encontra...




















Sinopse: Utilizando a forma de diálogos filosóficos, Peter Kreeft analisa uma série de filósofos modernos e suas filosofias num divertido e estranho encontro com Sócrates no mundo do além, na eternidade. Em todos os livros da serie Sócrates encontra, o leitor se deparará com uma leitura profunda e espirituosa, através de uma divertida e perspicaz exploração da filosofia moderna que certamente irá agradar tanto ao leitor comum como aqueles com maior inclinação ás leituras filosóficas.

Comentário: Esta série de livros de Peter Kreeft tem o potencial de não apenas agradar o leitor, como de levá-lo a interessar-se pela filosofia. Trata-se de uma grata surpresa: escrito na forma de um suposto diálogo na eternidade entre Sócrates e um filósofo famoso do passado, cada livro traz consigo uma pequena incursão no pensamento filosófico e suas disciplinas - epistemologia, antropologia, metafísica, ética e lógica. Mas tem algo mais: os diálogos levam o leitor a pensar na real possibilidade de uma Verdade única e eterna. Se cada filósofo defende seus pressupostos, Sócrates vai questionar cada um deles, e conduzi-los por uma viagem de afirmações e refutações, até que a verdade apareça em seu inegável brilho.



quinta-feira, 14 de abril de 2016

O açucar causa dependência?

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
        O açúcar seria realmente viciante como os cigarros, a cocaína ou o álcool? Um estudo recente, publicado na PLOS ONE, oferece evidências de que o açúcar pode mexer com seu cérebro tão poderosamente quanto as drogas. O mesmo estudo também sugere que as intervenções destinadas a tratar a dependência podem ajudar os viciados em açúcar a se libertarem da substância.
Pesquisadores da Queensland University of Technology, na Austrália, induziram o vício em ratos de laboratório em um processo que durou quatro semanas. Estes ratos desenvolveram uma tolerância à água doce durante este período de tempo, fazendo com que eles precisassem de mais e mais para se sentirem satisfeitos. (A tolerância é uma marca registrada do vício. É esta marca que os pesquisadores queriam encontrar.)
        Uma vez viciados na água com açúcar, alguns ratos receberam uma droga destinada a tratar a dependência da nicotina em seres humanos, chamada vareniclina. Outros continuaram sua ingestão compulsiva. Os ratos medicados conseguiram se afastar do bebedouro cheio de água com açúcar com uma frequência maior e com mais facilidade do que os outros.
        Eles também perderam o peso adquirido durante as quatro semanas de ingestão compulsiva de açúcar. Isso levou os pesquisadores a concluírem que o vício em açúcar é legítimo, mas pode ser tratado com drogas projetadas para reduzir ânsias por outras substâncias que causam dependência. “Mais estudos são necessários”, dizem os autores da pesquisa em um comunicado de imprensa, “mas nossos resultados sugerem que a vareniclina pode representar uma nova estratégia de tratamento no combate à obesidade”.
        Resta saber se a vareniclina também seria útil para refrear nossa compulsão por outros tipos de alimento. Os pesquisadores continuam trabalhando no assunto.
 
Fonte: Cosmopolitan
 
 
 

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Perseguição aos cristãos no nordeste da África

 
 
 
 
 
 
O Chifre da África, também conhecido como Nordeste Africano é uma região composta por alguns países que estão na Classificação da Perseguição Religiosa atual, como Eritreia (3º), Somália (7º), Quênia (16º) Etiópia (18º) e Djibuti (28º), onde vivem mais de 100 milhões de pessoas e o número de novos convertidos ao cristianismo tem aumentado rapidamente, mesmo com o cenário violento e perigoso, onde seguir a Jesus pode custar a vida. Jo* é uma colaboradora da Portas Abertas que recentemente viajou para essa região para falar com os ex-muçulmanos recém convertidos e que estão enfrentando uma perseguição severa por causa de sua nova fé.

"Jamais me esquecerei de nenhum deles. Quando chegaram, estavam tensos, até que olharam para o rosto familiar de Fikru*, uma pessoa da nossa equipe, então percebemos que eles finalmente se acalmaram. Eles tinham viajado durante horas para estarem ali e ter alguns momentos de comunhão. Primeiro, comemos e bebemos e depois ouvimos suas histórias", comenta Jo. A realidade dessas pessoas que vivem numa das regiões mais difíceis do mundo para ser um cristão é muito difícil, mas eles suportam com fé e coragem.

Na Eritreia há milhares de cristãos presos por causa de sua fé, mantidos em condições desumanas, presos em contêineres de metal ou em celas subterrâneas, e mesmo assim, a igreja tem crescido por lá. Na Somália, uma decapitação ou um tiro na cabeça não seria algo incomum para alguém suspeito de seguir Isa al Masih(Jesus Cristo), mas eles continuam seguindo e evangelizando. No Quênia, temos visto uma série de ataques contra os cristãos, inclusive na Universidade de Garissa, onde mais de 147 estudantes, em sua maioria cristã, foram executados brutalmente, mas os quenianos não desistiram. Para os etíopes, uma onda de protestos políticos no início desse ano desencadeou o ódio dos muçulmanos radicais contra os cristãos e muitas igrejas já foram destruídas, mas eles continuam adorando a Deus. Ore por essas nações.
Fonte: portasabertas.com


sexta-feira, 1 de abril de 2016

O jovem cristão e a espiritualidade



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

...batam, e a porta lhes será aberta. Mateus 7:7

 

          Na vida de um jovem cristão, a comunhão com Deus deve ocupar o lugar central em sua espiritualidade. A oração, o estudo da Bíblia e o testemunho – eis os itens que aproxima a criatura do Criador. Contudo, em meio à correria incessante que a vida nos impõe, como encontrar motivação para buscar a presença de Deus?

          Jesus ofereceu-nos um exemplo marcante da maneira como Ele encarava a verdadeira comunhão com o Pai celestial: “A minha comida é fazer a vontade dAquele que me enviou” (Jo 4:34). Nota-se, por essas palavras, a maneira como o Salvador priorizava as necessidades de sua alma. Nem mesmo a urgência do alimento físico sobrepujava sua carência de estar ligado a Deus.

          Certa vez, uma moça de minha igreja me procurou para dizer que sua vida espiritual se encontrava em estado de inércia. Havia semanas que nem sequer uma prece ela tinha conseguido balbuciar. Um tanto perplexo com sua sinceridade, perguntei qual o motivo para chegar naquele ponto. Ela afirmou que o desânimo lhe impedia de buscar a Deus com mais força. Fiz uma nova pergunta:

          - Você deixaria de comer apenas porque está com enjoo?

          Ela balançou a cabeça negativamente e disse:

          - Eu creio que não.

          - Pois bem, a vida espiritual precisa de alimento tanto quanto a existência física. Se você não comer, acabará morrendo. Não comemos apenas porque temos vontade, mas para sobreviver.

          Ela sorriu meio desconfiada, mas acabou reconhecendo o motivo de sua letargia espiritual – não havia insistido na sua comunhão com Deus.

          Buscar a Deus é um privilégio, e qualquer um pode fazê-lo. Mas há momentos em que temos de bater à porta da graça de Deus com mais empenho. Não importa se estamos dispostos ou não. Devemos buscar a Deus porque é necessário. Com o tempo, o resultado poderá nos surpreender.