quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Livros cristãos que marcaram época




     










      A literatura, sem dúvida, é solo produtivo para a formação do pensamento crítico e para a disseminação do conhecimento, seja ele teológico, filosófico, científico e/ou empírico. Nas páginas dos livros, autores diversos compartilham suas observações e experiências, sua visão de mundo e criatividade e, assim, contribuem para o desenvolvimento humano. Grandes livros influenciam contextos, provocam mudanças em âmbito pessoal e público e trazem uma nova perspectiva diante das mais diversas situações.
       Muitas das principais obras da literatura foram escritas por cristãos. Livros que século após século continuam a impactar vidas e a oferecer esperança, fé e direcionamento para multidões, formando um hall memorável de personalidades e obras amadas por leitores nos quatro cantos da Terra.
       A seguir, compartilhamos breves sinopses de importantes publicações de autores cristãos, de ontem e de hoje, em 10 sugestões de livros que não podem faltar em sua biblioteca.


O Peregrino – John Bunyan
Escrito no século 17, o livro O Peregrino é considerado como a maior obra de ficção do cristianismo. O livro conta a trajetória de Cristão, um peregrino espiritualmente abatido que viaja rumo à Cidade Celestial. No decorrer da aventura, ele se encontra com personagens de carne e osso, mas que possuem nomes alegóricos, tais como Evangelista, Adulação, Malícia, Apoliom e Vigilância. As experiências, erros e acertos do personagem oferecem uma rica lição acerca da caminhada cristã, uma aventura repleta de verdades espirituais.

Confissões – Agostinho de Hipona
Obra de Agostinho de Hipona (354-430), um dos filósofos e teólogos mais destacados do cristianismo, Confissões é considerado um de seus principais registros. O texto se subdivide em três grandes seções, assim distribuídas: Livros 1-9 (a vida passada de Agostinho); Livro 10 (seu estado atual); Livros 11- 13 (comentário de Gênesis 1). É reconhecida como a primeira obra a explorar amplamente os estados interiores da mente humana e o relacionamento mútuo entre graça e livre-arbítrio.

Imitação de Cristo – Thomás de Kempis
Texto produzido no final da Idade Média, Imitação de Cristo reflete particularmente o ambiente monástico da época e traz instruções a respeito da vida espiritual e devocional à luz das novas ênfases e preocupações da Devotio Moderna (movimento que ocorreu entre os séculos 14 e 16, o qual priorizava a vida interior em contraste aos rituais e obras exteriores). Uma das principais expressões desse movimento, o livro tem sido alvo de estudo e apreciação, tanto por leigos quanto por acadêmicos.

Um conto de Natal – Charles Dickens
Pulicado inicialmente em 1843, o livro de Charles Dickens é, sem dúvida, uma das mais famosas histórias natalinas já escritas. O conto narra a transformação que acontece na vida de Scrooge, um senhor mal-humorado e de coração duro que não gosta do Natal. Após receber a visita de três espíritos que lhe fazem enxergar os Natais passados, o presente e o futuro, respectivamente, Scrooge é impactado com verdades importantes, gerando em si uma mudança radical em seu estilo de vida. Um livro brilhante que trata acerca da importância da bondade e da generosidade em um mundo frio e injusto.

A anatomia de uma dor – um luto em observação – C.S. Lewis
Romance emocionante escrito em 1.961 por C.S. Lewis, autor, professor e filósofo considerado como um dos principais pensadores cristãos do século 20. Na obra, Lewis expõe sua amargura ao sofrer o luto após a morte de sua amada esposa, Joy Davidman. A expressão dos sentimentos ácidos de Lewis e sua compreensão de que Deus está no controle de toda e qualquer situação oferecem ao leitor uma perspectiva adequada e reconfortante a ser considerada em momentos de intenso sofrimento.

Os irmãos Karamázov – Fiódor Dostoiévski
Um marco na literatura mundial e obra-prima de um dos maiores romancistas de todos os tempos, Os irmãos Karamázov retrata, por meio de seus curiosos personagens e de sua inteligente trama, diferentes aspectos da sociedade russa da segunda metade do século XIX. No livro, Dostoiévisk mergulha em pontos obscuros da alma humana e flagra a consequente degradação moral resultante do afastamento do homem em relação a Deus.

Bonhoeffer – Pastor, Mártir, Profeta, Espião – Eric Metaxas
Biografia escrita pelo best-seller Eric Metaxas, traça o perfil profundo e cuidadosamente detalhado de um dos teólogos alemães mais importantes desde Lutero e uma das figuras principais da resistência contra o regime nazista. Inspirativo, desafiador e emocionante, Bonhoeffer é o relato instigante do que um homem pode fazer movido por amor ao próximo e contra a injustiça de um regime totalitário. Um livro para ser lido e discutido por todos que acreditam na liberdade e no dever de lutar para que essa liberdade alcance a todos.

Perseguidos – O ataque global aos cristãos - Paul Marshall, Lela Gilbert e Nina Shea
Escrito por Paul Marshall, Lela Gilbert e Nina Shea, membros do Centro de Liberdade Religiosa da Hudson Institute (EUA), organização independente que estuda e promove a liberdade de religião, Perseguidos é resultado de um estudo minucioso acerca das atrocidades praticadas contra cristãos em muitos países. Preconceitos, exclusões, injustiças, violências, tortura, assassinatos e até genocídios formam parte de uma narrativa alarmante e de um fato escandalosamente chocante e atual, o de que os cristãos são o grupo religioso mais amplamente perseguido no mundo hoje e que essa terrível tendência está em ascensão. Livro que desperta um profundo senso de respeito e compaixão por aqueles que sofrem por causa de sua fé.

O livro dos mártires – John Foxe
Um clássico da literatura mundial, o livro reconta as vidas, os sofrimentos e as mortes triunfantes dos mártires cristãos da História. Iniciando-se com a história do primeiro mártir - o próprio Jesus Cristo - o relato excepcional traça as raízes da perseguição religiosa e expõe os casos de mártires famosos como John Wycliffe, John Huss, William Tyndale, Martinho Lutero, Thomas Cranmer e muitos outros. Escrito por John Foxe (1516 – 1587), a mensagem de O Livro dos Mártires moldou a consciência religiosa e política da Inglaterra durante vários séculos.

O evangelho maltrapilho – Brennan Manning
Brennan Manning, o aclamado filósofo e teólogo, escreveu esse livro para pessoas aniquiladas, derrotadas e exauridas, que se acham indignas de receber o amor de Deus. Quem sabe, ignoradas pela comunidade de cristãos por não se encaixarem no perfil de super-homem ou de supermulher que lhes é constantemente exigido. Franco e provocador, Manning convida seus leitores a depositarem sua esperança na amplitude da graça, capaz de alcançar pecadores e pobres em espírito e de resgatar nossa dignidade original.


Fonte: mundocristão.com.br


A perseguição aos cristãos no Irã

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Desde a Revolução de 1979, o governo iraniano não concedeu nenhuma licença para o estabelecimento de igrejas e nem mesmo permitiu a construção de qualquer prédio planejado para fins religiosos, seja para ortodoxos, protestantes ou outras religiões. As proibições visam bloquear a prática de qualquer outra religião que não seja a muçulmana. As poucas igrejas que existiam foram fechadas e os líderes cristãos que lutaram contra o governo foram presos. Isto não significa, porém, que não haja cristãos no país, pelo contrário, o número de seguidores do cristianismo tem aumentado a cada dia.

Da população de 80 milhões de pessoas, estima-se que de 300 a 500 mil sejam cristãos, mesmo sendo cidadãos da República Islâmica do Irã. Por isso, em 2013, foi realizada a Campanha Internacional dos Direitos Humanos no país, conhecida como The Cost of Faith (O preço da fé), a fim de tornar visível a triste situação destas pessoas que querem seguir a Jesus. "De todas as regras impostas ficou bem claro que eles querem dar um fim a todas as manifestações de culto cristão e que vão nos perseguir, caso não obedeçamos. As autoridades estão pressionando cada vez mais. Muitos cristãos já perderam seus empregos, porque os empregadores são forçados a demiti-los", compartilha um dos líderes religiosos.

O cristianismo é considerado uma influência ocidental condenável no Irã, que é o 9º país na Classificação da Perseguição Religiosa 2016. Para o governo iraniano, chega a ser uma ameaça iminente para a República Islâmica, especialmente porque o número de cristãos está crescendo, e pessoas de todas as idades estão deixando o islamismo para se converter ao cristianismo, entre elas, líderes políticos e religiosos. Além de cristãos, os direitos de outras minorias religiosas são igualmente violados. Todos os cristãos são afetados pela perseguição, mas especialmente os ex-muçulmanos convertidos ao cristianismo que compartilham o evangelho com muçulmanos. Interceda por eles.

Fonte: Portas Abertas

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

O que você tem feito?












Sempre que puder, ajude os necessitados. Provérbios 3:27.

       Certo dia, um homem que não cria em Deus encontrou um rapaz abandonado na rua de uma grande cidade. O pobre garoto estava sujo e com as roupas rasgadas. O homem sentiu pena de tal situação e puxou conversa:
       – Você deve estar com fome e com frio, não é?
       – Sim – afirmou o rapaz –, mas Jesus tem me alimentado e me aquecido.
      - Ora, se o seu Deus o amasse, já teria mandado alguém para ajudá-lo.
      – Creio que Deus mandou alguém, mas esse alguém se esqueceu de vir.
       A resposta do jovem mendigo tocou o coração do homem. A Bíblia nos diz que temos deveres para com nossos semelhantes. Infelizmente, vivemos num mundo egoísta e insensível. A lei do amor foi substituída pela lei do “eu”, do proveito próprio. Para satisfazer a si mesmo, uma pessoa é capaz de enganar, explorar, roubar e até matar. Nos dias modernos, milhares não possuem quase nada, enquanto alguns têm muito.
       Quando esteve na Terra, Jesus viveu uma vida santa e nos deixou o exemplo do que é fazer o bem ao próximo. Muitas vezes, Ele deixava de comer e dormir para ajudar aqueles que tinham necessidades. Mesmo quando foi pregado à cruz, Ele Se preocupou com as pessoas. Afirmou: “Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês” (Mateus 7:12).
       Dwight L. Moody (1837-1899) foi um dos grandes evangelistas do passado. Alguns biógrafos afirmam que ele proporcionou o conhecimento do evangelho a mais de 500.000 pessoas. Perto de sua morte, ele avisou seus amigos de que não queria nenhuma palavra de elogio em sua lápide. Ele disse: “Escrevam apenas: ‘Aqui jaz D. L. Moody; ele fez o que pôde.’”
       E você? Tem feito o que pode para ajudar seu semelhante?
 
 

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Ganho infinito



 
 
 
 
Para ser sábio, é preciso primeiro temer a Deus. Provérbios 1:7.

O grande matemático e filósofo Blaise Pascal escreveu a seguinte reflexão:

“Se eu aposto por Deus e Deus existe – meu ganho é infinito.
Se eu aposto por Deus e Deus não existe – não perdi nada.
Se eu aposto contra Deus e Deus não existe – Não perdi nem ganhei.
Mas se eu aposto contra Deus e Deus existe – então minha perda será infinita.”

Para mim, Pascal tinha razão. Aqueles que rejeitam a Deus não têm idéia do prejuízo que tal decisão acarreta. Pode-se não perceber isso em tempos de bonança, mas em meio as tempestades da vida, logo essa verdade se revela.

Mas nunca é tarde para voltar atrás. Rosária foi um exemplo disso. Nascida nos subúrbios de Lima, no Peru, ela cresceu cheia de ódio por causa da miséria que a cercava. Apesar da pouca educação, descobriu o prazer da leitura. Com 13 anos, já lia obras de Marx e Lênin. Aos 18, tornou-se comunista e ateísta. Conheceu Che Guevara e tornou-se sua discípula.

Após a morte de seu líder na Bolívia, Rosária voltou para Lima e tornou-se uma mulher amarga e insensível. Detestava qualquer coisa relacionada a Deus e ao cristianismo.

Então, ela ouviu pelo rádio o programa de um evangelista. Esse homem também pregaria naquela noite em um teatro da cidade. Apesar de sua rejeição aos cristãos, Rosária sentiu-se impelida a ir ao teatro. Durante o sermão do evangelista, ela se sentiu tocada por uma força inexplicável. No apelo, ela foi à frente. Mas ela não estava pensando em se entregar a Deus. Na verdade, queria matar o pregador.

Nesse momento, uma senhora parou diante de Rosária e disse: “Senhorita, posso ajudá-la a receber a Cristo?” Rosária empurrou violentamente a pobre mulher. Por causa do tumulto, acabou fugindo do teatro.

Naquela noite, Rosária não conseguiu dormir. Dois versos bíblicos ficaram gravados em sua mente: “Maldito o homem que confia no homem” (Jeremias 17:5) e “bendito o homem que confia no Senhor” (17:7, ARA).

Perto do amanhecer, Rosária não resistiu mais. Ajoelhou-se à beira da cama e entregou a vida a Deus. Daquele momento em diante, ela se tornou cristã.

Rosária se entregou a Jesus e você deve fazer o mesmo. Que tal agora?