terça-feira, 25 de agosto de 2015

Desenho do corpo humano contraria a evolução




 
 
 
 
 
 
 
O ser humano ou evoluiu lentamente a partir do lodo primordial há milhões de anos, ou foi criado à imagem de Deus. A lista de evidências que supostamente validavam a ascensão evolutiva do homem a partir de formas de vida “inferiores” tem sido eliminada por décadas de boas pesquisas científicas. Desde as suas bases, o edifício da “evolução humana” claramente tem estado em desintegração. Por exemplo, os dentistas, com uma filosofia darwiniana, podem sugerir a remoção do dente do siso devido à “evolução” da mandíbula humana. Embora alguns molares possam de facto precisar de extração, isso claramente não tem nada a ver com a evolução.[1]

Muitos evolucionistas apontam para as dores nas costas como evidência de que os seres humanos só recentemente começaram a caminhar eretos, havendo supostamente evoluído de antepassados tetrápodes. Mas não só a coluna vertebral humana parece ter sido criada para a postura ereta, como parece que a maior parte dos problemas nas costas é causada pela má postura, lesões ou outro tipo de abusos. A evolução não tem absolutamente nada a ver com as dores nas costas.[2]

Os evolucionistas continuam afirmando que o desenvolvimento embrionário espelha um passado evolutivo, quando os seres humanos [supostamente] tinham fendas branquiais como os peixes ou um saco vitelino como as galinhas. Tais sugestões não científicas são o resultado da infame “lei biogenética” do zoólogo Alemão Ernst Haeckel. Os evolucionistas têm permitido que essa ciência deficiente prospere, embora a teoria da “recapitulação” já tenha sido desacreditada há muito tempo.[3]

Muitas escolas seculares ainda ensinam o não cientifico conceito de que estruturas tais como as amígdalas, adenoides e o apêndice seriam vestígios inúteis de um passado evolutivo.[4] Mas em 2010 quatro evolucionistas qualificaram as adenoides e as amígdalas de “enormes coleções de tecido linfoide imunologicamente ativo”.[5] Ou seja, elas são partes dinâmicas dos nossos sistemas imunitários. Em 2009, um imunólogo evolucionista declarou: “Se por acaso Darwin estivesse ciente da existência de espécies que têm um apêndice ligado a um ceco enorme, e se ele soubesse da natureza difundida do apêndice, muito provavelmente ele nunca iria olhar para ele como um vestígio da evolução.[6]

Não existe qualquer tipo de evidência de que o ser humano evoluiu de uma criatura sub-humana. Tal como um escritor científico uma vez apresentou o assunto: “O último ancestral comum entre chimpanzés e os seres humanos continua a ser um santo graal da ciência”[7], usando termos que implicam uma busca em vão por um tesouro esquivo, ou algo valioso – sem qualquer chance de algum dia ser encontrado.

Descobertas de supostas evidências evolutivas invariavelmente resultam em confusão. Um subtítulo da Newsweek é típico: “Descoberta fóssil de um desconhecido ancestral humano agita as ideias relativas à evolução humana.”[8]

Pegadas recém-descobertas têm uma aparência surpreendentemente humana, o que leva os cientistas criacionistas a sugerir o impensável: talvez sejam pegadas humanas.[9] No entanto, outros escritores dançam em redor da verdade: “Criadas há cerca de 1,5 milhão de anos, elas são as mais antigas pegadas que têm a aparência de terem sido feitas pelos humanos modernos. Uma equipe de cientistas [...] descobriu essas preciosas impressões fósseis em lama seca por volta de 2009. [...] A julgar pela aparência, as impressões do pé fossilizado parecem idênticas às que fazemos quando andamos pela areia.[10]

Os evolucionistas não podem aceitar que essas pegadas tenham sido feitas por pessoas como as de hoje, e em lugar disso – e sem qualquer evidência científica – afirmam que elas foram feitas por um antepassado sub-humano, o Homo erectus.

As Sagradas Escrituras claramente ensinam em Gênesis 1 que as plantas e os animais foram criados por Deus “segundo o seu tipo” – tal como o ser humano foi criado de modo especial à imagem de Deus (Gênesis 1:27).

Fonte: Darwinismo

 Referências:
1. Sherwin, F. 2003. “The Whole Tooth about Wisdom Teeth.” Acts& Facts. 32 (3).
2. Morris, J. 1998. “Do Back Problems in Humans Prove Evolution from Animals?” Acts & Facts. 27 (12).
3. Morris, J. 1989. “Does the Human Embryo Go through Animal Stages?” Acts & Facts. 18 (8).
4. Sherwin, F. 2003. “For Every Structure There Is a Reason.” Acts & Facts. 32 (11).
5. Barrett, K. E. et al. 2010. Ganong’s Review of Medical Physiology. New York: McGraw-Hill Medical, 605.
6. Choi, C. Q. “The Appendix: Useful and in Fact Promising.”
LiveScience. Posted on livescience.com August 24, 2009, accessed November 11, 2010.7. Viegas, J. “The Human Family Tree.” Discovery News. Posted on discovery.com, accessed November 11, 2010.
8. Begley, S. “Welcome to the Family, Missing Link.” Newsweek, April 8, 2010.
9. Thomas, B. “Human Evolution Story Stumbles over Footprints.” ICR News. Posted April 6, 2010, accessed November 10, 2010.
10. Hirji, Z. “Footprint Fossils Analyzed for Ancient Human Gait.” Discovery News. Posted on news.discovery.com July 22, 2010, accessed November 11, 2010. 

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Voltando a sorrir



 
 
 
 
O choro pode durar a noite inteira, mas de manhã vem a alegria. Salmo 30:5.

      Todo mundo passa por provações na vida. Algumas vezes, as dificuldades são tantas que nos fazem chorar. Mas também temos de nos lembrar que nenhum dia é igual ao outro em nossa experiência, e que Deus pode transformar o choro em alegria. Mesmo em meio a decepção e tristeza, o dia seguinte pode trazer consigo a esperança.

      Gabrielle experimentou isso certa vez. Ele era um cristão dedicado e vivia no Congo, na época em que o país era dominado pela Bélgica. Ele e sua família tinham o costume de ir à igreja, onde todos o reconheciam como um líder carismático.

      Certo dia, um oficial do governo belga chegou àquela região. Notou que o lugar tinha um tipo de palmeira da qual se poderia produzir cerveja com rapidez. Chamou Gabrielle e seu povo e mandou que todos trabalhassem para produzir a cerveja. Gabrielle notou que tal tarefa feria os princípios da Palavra de Deus e não atendeu à ordem do oficial.

      A recusa de Gabrielle resultou em uma provação muito grande para ele e seu povo. O oficial mandou açoitá-lo na frente de todos e ordenou que a cerveja fosse feita imediatamente. Como ninguém lhe obedeceu, ele mandou acorrentá-los e os sentenciou a três meses de trabalhos forçados nas estradas da região. Gabrielle pôde ver as lágrimas de aflição nos olhos de seus familiares.

      Quando o primeiro mês se passou, um outro oficial chegou de viagem para ver a região. Era mais velho e conhecia bem Gabrielle. Quando soube do acontecido, ficou perplexo. Ordenou imediatamente que Gabrielle e os demais familiares fossem soltos e mandados de volta para sua aldeia. A alegria voltou à vida deles.

      Pode ser que você esteja enfrentando uma grande provação. Quem sabe algo lhe feriu profundamente. Ou algo até pior. No entanto, lembre-se de que mais cedo ou mais tarde tudo passa. Busque a ajuda de Jesus e confie nEle. O sorriso certamente voltará ao seu rosto.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Salvo em batalha



 
 
 
 
Ainda que meus inimigos me ataquem, continuarei confiando em Deus. Salmo 27:3.

      Durante a Segunda Guerra Mundial, um soldado alemão foi recrutado para o exército. Ele era um ex-cristão. Durante uma batalha, ele e outros soldados foram feridos por uma granada ao tentar atravessar um campo. Quando recobrou a consciência, ele descobriu que todos os seus companheiros estavam mortos. Ele mesmo estava bastante ferido. Procurou se arrastar até um grande buraco produzido por uma bomba, e ali ficou enquanto as balas passavam por sobre sua cabeça. Não havia esperanças de viver muito tempo naquela situação. Estava sozinho e ferido.

      Então, ele se lembrou de Jesus e da religião que abandonara. Havia aprendido na igreja que Deus nunca abandona Seus filhos e, de alguma maneira, isso trouxe conforto ao seu coração. Sozinho em meio à guerra, ele sentiu vontade de orar. Tentou ajoelhar-se, mas não conseguia. Então, ele prometeu a Deus que se fosse salvo O serviria pelo resto da vida.

      Na manhã seguinte, sentia muita dor por causa dos ferimentos. Sentia fome também. De repente, viu uma galinha caminhando pelo campo de batalha. Ela veio em sua direção e botou um ovo a menos de um metro de distância. O ovo foi uma bela refeição para o soldado, que permaneceu por mais cinco dias naquele buraco. Durante todo esse tempo, a galinha caminhava até o mesmo lugar e punha um ovo. No sexto dia, a batalha acabou e o soldado foi resgatado pela Cruz Vermelha. Foi levado para um hospital do exército e logo se recuperou do ferimento.

      Aquele soldado cumpriu sua promessa e dedicou a vida a Deus. Ele sabia por experiência própria que Deus está ao nosso lado em todos os instantes.

     Você também possui essa confiança?

 

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

10 livros que estragaram o mundo






















Sinopse: "O bom senso e um pouco de lógica nos advertem que, se ideias têm consequências, então más ideias têm más consequências. E, ainda mais óbvio: más ideias, escritas em livros, tornam-se muito duráveis, infectam gerações e mais gerações e ampliam a miséria do mundo. Eu afirmo, portanto, que o mundo seria hoje um lugar demonstravelmente melhor se os livros que estamos prestes a discutir jamais tivessem sido escritos" (o autor)
Comentário: Não há dúvidas que a obra de Benjamim Wiker enamora-se com a polêmica. Todas as listas dos "dez mais" sempre será contestada. Assumindo esse risco, o autor percorre um caminho em que as obras escolhidas acabam entrelaçadas pelo tempo e pelas circunstâncias. Se Descartes é o pai da filosofia moderna, ele também pode ser um dos grandes responsáveis por aquilo que viria a ser o senso comum nos séculos posteriores. Wiker não mede as palavras para afirmar que Descartes lançou as bases de ideias despropositadas que fariam eco para outros autores como Rousseau, Marx e Nietzche. O século 20, com suas inúmeras guerras e genocídios, foi o fruto das idiossincrasias de idolatrados pensadores. Por isso, insiste o autor, deve-se ter em vista que as ideias tem consequências. Toda filosofia humana precisa, sempre que possível, ser colocada em devida perspectiva. Uma obra que leva o leitor a rever alguns de seus próprios conceitos filosóficos.