segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Feliz Ano Novo!





















Feliz Ano Novo a você e sua família!


Fernando Beier

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Feliz Natal














A noite fria revelou a estrela,
de uma manjedoura ela brilhou
Os que decidiram optar por ela,
encontraram o menino que a todos salvou.


Feliz Natal


Fernando Beier

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Maravilhas da criação
























Sinopse: Diversas maravilhas que nos rodeiam estão ocultas da maioria dos olhos humanos. A natureza está ao nosso redor e nós somos parte dela. Desde os tempos mais remotos, o homem tem contemplado o mundo e feito muitas perguntas. Muitos creem que a ciência pode dar uma explicação racional e satisfatória a respeito da origem e do desenvolvimento da Terra. Outros afi rmam que isso só pode ser obtido por meio da revelação sobrenatural e do estudo da natureza. Quem está certo? O conhecimento correto de ambas as propostas demonstrará que uma não contradiz a outra.

Comentário: Quais as evidências de um mundo criado por Deus? O evolucionismo está correto? O livro de Gerald Vyhmeister tem o mérito de apresentar o contexto do debate entre criacionismo e evolucionismo em linguagem bem acessível. Como biólogo e químico, o autor não se furta em colocar as falácias do evolucionismo em relevo. Mas não que o criacionismo tenha todas as respostas. Buscar as pistas da verdade na própria natureza sempre será o ponto inicial da jornada do conhecimento científico (Fernando Beier).

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Governo da Índia quer negar educação aos cristãos















      O governo da Índia afirma que não se deve estender benefícios, como emprego e assistência educacional, aos cristãos mais pobres do país. “Por um lado”, ele disse, “não há cristãos entre os dalits* na Índia. Por outro, estender os benefícios do governo para os cristãos pobres encorajaria os também pobres índios hindus a se converterem na esperança de qualificação para os programas de assistência social”.
      As declarações do ministro ao The Times of India, zombam de ativistas que trabalham com os dalits cristãos. Os advogados de cristãos e dalits muçulmanos já tentaram por décadas garantir a estes o acesso a emprego, educação e moradia concedidos pelo governo.
      "Como líder de inúmeros dalits cristãos, eu tenho de afirmar que a posição do ministro é infeliz", diz o Rev. Kumar Swamy, secretário nacional do All India Christian Council, à World Watch Monitor.
      "A Constituição diz claramente que os cidadãos não serão discriminados com base na religião", disse Swamy. A disposição do governo de benefíciar aos hindus dalits, por um lado, e a recusa de auxílio para dalits cristãos e muçulmanos por outro lado”, disse ele, “é a violação de um direito fundamental de igualdade perante a lei garantida no âmbito da Constituição."

      *Nome dado aos cidadãos mais pobres e marginalizadas do país, às vezes chamados de "intocáveis".


Fonte: World Watch Monitor 

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

A conversão de Judeus ao Cristianismo














Nas últimas décadas, o judaísmo messiânico, movimento de judeus que aceitaram Yeshua (Jesus) como Messias, vem crescendo de forma constante, especialmente nos Estados Unidos. A maioria deles continua mantendo as tradições do judaísmo, desagradando os judeus praticantes e muitas vezes alguns segmentos cristãos. Estudiosos do assunto asseguram que o movimento se fortaleceu quando Israel se tornou uma nação novamente em 1948. Sua atuação em solo israelense sempre foi difícil, mas diferentes ministérios tem tido sucesso no alcance de judeus. As missões focadas em apresentar Yeshua como Messias existem há décadas, mas vem se multiplicando: King of Kings, Centro Caspari, Judeus para Jesus, The Christian Jew Foundation, Chosen People Ministries, Joseph Storehouse, Christian Witness to Israel, Fundação Jewish Christian, e Maoz, entre outras menos conhecidas, têm centenas de testemunhos sobre judeus convertidos nos últimos 20 anos.

O trabalho evangelístico em Israel está sendo realizado através de congregações messiânicas locais. Os maiores estão em Tiberias, K’far Saba, Netanya, Jerusalém e Joffa. Existem mais de 150 congregações. O maior índice de conversão está entre os judeus que imigraram de países da antiga União Soviética. O crescimento no número de judeus que têm “voltado para casa” faz com que messiânicos de diferentes países fortaleçam as comunidades já existentes.

Esse aumento no número de participantes não passou despercebido pelos grupos religiosos tradicionais da nação israelense. Seu trabalho de ação social, incluindo apoio aos que tiveram perdas durante as guerras com o Líbano e com o Hamas, por causa da doação de alimentos, roupas, remédios e outros suprimentos faz com que eles sejam bem aceitos pelos judeus em geral.

A maioria dos pastores dessas igrejas messiânicas em Israel contam das dificuldades que passam, mas acreditam que está acontecendo uma transformação nos dias de hoje. Aumentou o reconhecimento e a aceitação dos messiânicos. Relatam ainda que tantos conflitos políticos e religiosos na região geram uma busca por respostas, que abrem portas para que a boa-nova seja espalhada.

O rabino messiânico Barry Rubin relata que “hoje, os cidadãos israelitas estão mais abertos para falar sobre Yeshua e considerar seriamente a possibilidade de que Ele realmente é o Messias”. Ele acha difícil estabelecer com certeza o número de judeus que seguem a Jesus, pois em muitas famílias a pressão continua grande. Ainda há casos de perseguição severa.

Estatísticas de 2013 apontam que o número de judeus messiânicos em todo o mundo já passa de 300.000. Destes, aproximadamente 20.000 vivem atualmente em Israel. Registros oficiais indicam que é um número recorde. Existiam no país menos de 100 judeus messiânicos conhecidos em 1948, eram 250 em 1967, em 1987 chegaram a 3.000, em 1997 a comunidade cresceu para 5.000, ultrapassando 15.000 em 2008. 

Fonte: Jewish Israel, via Gospel Prime

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

O que você tem semeado?

















Adorem a Mim, o Senhor, o Deus de vocês, e Eu os livrarei de todos os seus inimigos. 2 Reis 17:39.

      Certo dia, o capelão de uma grande prisão decidiu visitar alguns condenados que trabalhavam na oficina. Todos eles tinham sua história de crimes e infelicidades. Avistou um jovem trabalhando com tecido e fazendo camisas. Parou por um momento e, em seguida, fez uma pergunta:
      – Costurando muito?
      O jovem levantou a cabeça e encarou o capelão. Era um olhar triste e pensativo.
      - Não, senhor, estou colhendo.
      O capelão pediu-lhe permissão para sentar-se ao seu lado.
      – Conte-me sobre isto – pediu ele.
      O jovem contou-lhe uma triste história. Nascera em um bom lar, onde a família vivia feliz. Morava em uma casa grande e bonita, e desde pequeno estudara nas melhores escolas que o dinheiro podia pagar. Porém, quando chegou à adolescência, começou a andar com rapazes de má reputação. Logo começou a fumar. Em casa, seus pais começaram a estranhar seu comportamento. Chegava tarde e nunca falava nada. Começaram as brigas. Pedia dinheiro ao seu pai para comprar cigarros, e este lhe negava. Decidiu, então, unir-se a uma quadrilha de ladrões de lojas.
      A princípio, a vida de crimes parecia compensadora. Tinha dinheiro para comprar o que quisesse, e as garotas viviam ao seu lado. Foi quando descobriu as drogas. Um pouco aqui, um pouco ali, e tornou-se viciado. Agora, quase todo o dinheiro era usado para sustentar o vício. E quanto mais droga ele usava, mais droga o seu corpo pedia. Uma namorada lhe rogou em vão que parasse com tudo aquilo.
      Um dia, sem dinheiro para comprar a droga, ele resolveu participar de um assalto a uma grande loja de jóias. A polícia apareceu e ele foi apanhado. Agora, longe da família e dos amigos, ele estava cumprindo os longos anos de prisão.
      – Pois é – disse o jovem ao capelão –, estou colhendo o que semeei.
      Quantas pessoas tomam decisões semelhantes, destruindo seu futuro e amargando um presente de problemas. Por que deixar Deus longe de suas escolhas? Você pode mudar isso hoje, convidando Jesus para dirigir seus passos na caminhada da vida.

Fernando Beier


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Muçulmanos que sonham com Jesus














É provável que mais de 5% da população muçulmana no mundo tenha tido um sonho com Jesus – o que representa cerca de 80 milhões de sonhadores, afirma editor do site onde os muçulmanos postam seus relatos. “Eu estava no deserto sozinha, perdida. Não havia nada em vista, apenas areia. Eu sentia a areia nos meus pés descalços. Então eu vi algo extraordinário: no meio dessa aridez, uma imensa cruz de madeira emergiu da terra, se levantando e derramando a areia de volta à terra.” Assim começa a narrativa de um sonho que Emina Emlonic, uma adolescente muçulmana da Bósnia, teve. Um sonho sobre Jesus. Ela continua: “Me senti uma espectadora do meu próprio sonho, e a visão da cruz não me deu medo, nem alegria. Mas eu era uma curiosa e me aproximei, quase flutuando, em direção a ele, o mais magnífico. Era algo que eu nunca tinha visto ou imaginado. Como cheguei mais perto da cruz, de repente vi um homem andando na minha direção: tinha ombros largos, andava a passos largos, com uma pele escura, cabelos longos, e vestindo uma túnica branca. E eu, de repente, deixei de ser uma testemunha do meu sonho. Eu estava nele, caminhando na direção do homem que também estava andando na minha direção. Eu o reconheci imediatamente. Ele era Jesus. Sem saber por que, eu caí de joelhos. Ele, em pé, tocou meu rosto com a mão direita.”
 
Os relatos de encontros com Jesus por meio de sonhos e visões têm sido publicados com frequência, de acordo com o pastor Frank Costenbader, editor do site Isa Dreams (“Sonhos de Isa”, em tradução livre). Isa é um nome árabe que se encontra no Alcorão, e corresponde a Jesus.
 
“O número de sonhos com Isa têm crescido tremendamente desde 2000, e depois de 2005 o ritmo parece ter diminuído”, disse Costenbader. “Mas houve uma explosão de testemunhos na internet nos últimos dois anos sobre as pessoas que encontram Jesus em sonhos e, depois disso, se tornam seguidoras de Jesus.”
 
Um homem saudita disse que seu sonho começou com uma cena horrível. “Uma noite, enquanto eu dormia, tive um sonho horrível onde eu estava sendo levado para o inferno. O que eu vi lá me trouxe um medo real, e esses sonhos continuaram vindo para mim quase todas as noites. Eu estava realmente querendo saber por que eu estava vendo o inferno dessa maneira”, escreveu ele no site Answering-Islam. Ele disse que Jesus apareceu para ele e disse: “Filho, Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Entregue sua vida para Mim, e siga-Me. Gostaria de salvá-lo do inferno que você já viu.”
 
“Isso veio como uma surpresa para mim, pois eu não sabia que era Jesus. Ele é mencionado no Alcorão e no livro Surata Maria. Ele é indicado como um dos nossos profetas, mas não como um salvador que poderia nos salvar do inferno. Então eu comecei procurar por algum cristão que me desse explicações sobre esse Jesus que eu vi.”
Ele disse que teria que chegar até um cristão egípcio, porque o cristianismo é “totalmente proibido na Arábia Saudita, e se um cristão é pego evangelizando um muçulmano, é quase certeza que ele será decapitado.”
 
Os muçulmanos não são os únicos que relatam tais encontros notáveis. Costenbader diz que muitos hindus também têm postado muitos relatos no site. Ele disse que, independentemente do cenário, uma característica comum dos sonhos com Jesus é o sentimento de paz. “Isso é muito diferente do que impõe o sistema cheio de medos do Islã”, disse Costenbader.
 
Christine Darg, co-apresentador de um programa de televisão do Jerusalém Channel, afirma que esse é o cumprimento de uma profecia bíblica. “Esse fenômeno está acontecendo todos os dias. É parte da profecia do profeta Joel, que nos últimos dias Deus derramará Seu Espírito sobre todas as pessoas – vossos filhos e filhas profetizarão, jovens e velhos irão experimentar sonhos e visões”, disse Darg.
 
Darg observou que pelo menos um quarto de todos os crentes muçulmanos já experimentou algum tipo de sonho ou visão sobrenatural com Jesus.
 
Costenbader disse que o número de sonhos é incalculável. “Ninguém pode obter estatísticas perfeitas, mas, com base em toda a nossa investigação, acreditamos que bem mais de um milhão de sonhos e visões de Jesus ocorreram desde 2000. Isso significa cerca de 200 sonhos, todas as noites, entre os 1,6 bilhão de muçulmanos em todo o mundo.”
 
Ele disse que “é possível que mais de 5% da população muçulmana no mundo possa ter tido um sonho – o que seriam cerca de 80 milhões de sonhadores.”
 
Darg aponta que muitos muçulmanos “não relatam suas experiências facilmente por medo de represálias”.

Fonte: CPAD News

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Deus é amor














Mas o Senhor Deus foi bondoso com os israelitas. Ele não deixou que fossem destruídos. 2 Reis 13:23.

     O povo de Israel se afastava mais de Deus a cada novo rei que subia ao trono. Mesmo assim, Deus retardou o quanto pôde as conseqüências naturais que viriam sobre eles. E isso acontecia porque Deus os amava muito e Se compadecia deles.
     Certo pastor foi visitar um fazendeiro que era membro de sua igreja. Era um belo dia de sol, e o fazendeiro terminara de dar as tarefas aos empregados. Enquanto esperava, o pastor notou que no cata-vento em cima do celeiro havia sido pintado um verso da Bíblia – “Deus é amor”.
     – O que o senhor achou do cata-vento? – perguntou o fazendeiro.
     O ministro olhou novamente para o verso, e então abanou a cabeça.
     – Acho que o senhor não deveria ter colocado o verso ali. – foi a resposta.
     – Mas por quê? – perguntou o fazendeiro surpreso. – Não é uma frase que todos nunca devem se esquecer?
     – Bem – respondeu o pastor –, quando o vento vem do norte, o verso apontará para o norte e quando sopra do sul, ele apontará para o sul. Tenho receio de que as pessoas, ao olharem para ele ali em cima, chegarão à conclusão de que o amor de Deus muda conforme o vento.
Foi a vez do fazendeiro abanar a cabeça.
     – Eu vejo as coisas de outra maneira. Mesmo que o verso mude de direção, ele ainda pode ensinar uma lição. Quando o vento sopra quente, Deus é amor. Quando ele traz chuva, Deus é amor. Quando há um vendaval, Deus é amor. Seja qual for a maneira como o vento sopre, o amor de Deus permanece.
     O pastor pensou no que o fazendeiro acabara de falar, e disse:

     – O senhor tem razão, seja no norte ou no sul, faça sol ou chuva, Deus sempre será amor.

Fernando Beier

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Questionando o evolucionismo


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Um preeminente químico, reconhecido neste ano como um dos 50 cientistas mais influentes do mundo, diz que a maioria dos cientistas não entende como a evolução poderia explicar a existência da vida. O Dr. James Tour é um professor bem conhecido na Universidade Rice, especializada em química. Ao longo dos últimos 30 anos, Tour foi autor de mais de 500 pesquisas publicadas, e foi reconhecido como um dos “50 cientistas mais influentes do mundo atual”, pelo thebestschools.org. Tour também recebeu prêmios e reconhecimentos da Sociedade Química Americana, Thomson Reuters, Honda, Nasa e outros. Em um vídeo lançado em 2012, Tour explicou que ele tem tido experiência extensiva estudando a origem da vida. “Vou contar-lhe que como cientista e químico sintético”, Tour diz, “se alguém devia entender a evolução, seria eu, porque faço moléculas para ganhar a vida, e não apenas compro um kit, e misturo isso e mais isso e obtenho aquilo. Quer dizer, ab initio, eu faço moléculas. Eu entendo o quão difícil é fazer moléculas.”
 
A despeito de suas experiências e expertise, Tour admite que não entende como a evolução poderia contar para a existência da vida. “Eu não entendo a evolução, e vou confessar para você”, ele diz no vídeo. “Para mim está tudo bem dizer que ‘eu não entendo isso’? Está tudo bem? Eu sei que há um monte de pessoas lá fora que não entende nada de síntese orgânica, mas entendem de evolução. Eu entendo um monte sobre fazer moléculas; eu não entendo a evolução. E você poderia apenas dizer: uau! Isso deve ser realmente incomum!”
 
Todavia, Tour diz que ele não é o único que não entende como a vida poderia ter surgido de processos naturais e não guiados. “Deixe-me dizer a você o que acontece nos bastidores da ciência – com os membros da Academia Nacional, com vencedores de prêmios Nobel”, declarou Tour. “Eu me assentei com eles, e quando estávamos sós, não em público – porque é uma coisa apavorante, se você diz o que eu acabei de dizer –, eu disse: ‘Você entende tudo isso, de onde tudo isso veio e como aconteceu?”’ A resposta que Tour inevitavelmente recebe é: “Não.”

“Toda vez que eu me assento com químicos sintéticos, que entendem isso, eles dizem ‘Ah-hã. Não’”, afirma Tour. “E se eles estão com medo, e querem dizer ‘sim’, então não dizem nada. Eles apenas olham pra mim, porque eles não podem sinceramente fazer isso.”
 
É justo dizer que há uma importante diferença entre microevolução e macroevolução – a primeira é claramente observável e repetível, mas a segunda nunca foi testemunhada. “De tudo o que eu posso ver, a microevolução é um fato; nós a vemos ao redor de nós com respeito às pequenas mudanças entre as espécies, e os biólogos demonstram esse procedimento nos seus laboratórios diariamente. Então, não há argumentos a respeito de microevolução”, ele escreve em uma postagem de blog. “O centro do debate, para mim, então, é a extrapolação da microevolução para a macroevolução.”
 
Depois de reconhecer que os evolucionistas são “coletivamente desnorteados” pela origem da vida, Tour junta-se a perto de 900 outros cientistas ao assinar uma Dissenção Científica do Darwinismo, que declara: “Nós somos céticos quanto às reinvindicações de que a habilidade de mutações aleatórias e da seleção natural leve à complexidade da vida. Exames cuidadosos das evidências da teoria darwinista devem ser encorajados.”
 
Se a evolução não pode contar para a existência da vida, então como a vida foi originada? Tour diz que a resposta mais razoável é simples. “Eu creio fundamentalmente que Deus criou a todos nós”, ele disse à Houston Chronicle.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Respeito e aprendizado




















Eliseu saiu de Jericó para ir a Betel. Ele ia andando pela estrada, quando alguns rapazes saíram de uma cidade e começaram a caçoar dele, gritando assim: “Ô seu careca, fora daqui!” 2 Reis 2:23.

      Em 1892, um jovem estudante viajava de trem pelo interior da França, quando percebeu que o idoso ao seu lado estava lendo a Bíblia. Sem muito pensar, o rapaz interrompeu o homem e lhe perguntou:
      – O senhor acredita mesmo nesse livro cheio de fábulas?
      – Sim – disse o idoso calmamente – mas não creio se tratar de um livro de fábulas e sim a Palavra de Deus. Você acha que estou errado?
      – Claro! O senhor não estudou um pouco de história? Nós estamos na França e há cem anos a Revolução Francesa nos fez o favor de mostrar a miopia da religião. Somente pessoas sem o mínimo de cultura acreditam nesse tipo de coisa.
      – Você não crê na criação?
      – Como pode alguém acreditar que o mundo foi criado em seis dias. Isso é um absurdo! O senhor deveria dar mais atenção para o que os cientistas dizem.
      – É mesmo? – perguntou o idoso cristão – E o que dizem os cientistas sobre isso?
      – Bem – respondeu o rapaz – agora não vou poder lhe explicar, pois vou descer na próxima estação, mas deixe-me seu cartão e eu lhe enviarei pelo correio algum material.
      O velho abriu o bolso do paletó, tomou um cartão e entregou ao estudante. Quando o jovem leu o que ali estava escrito ali, ficou vermelho de vergonha. O cartão dizia: “Louis Pasteur, Diretor do Instituto de Pesquisas Científicas da École Normale de Paris”.
      Louis Pasteur é costumeiramente considerado o personagem mais importante da história da Medicina. Foi ele quem defendeu a teoria dos micróbios da doença e desenvolveu a técnica da pasteurização.
      Graças a Pasteur e suas descobertas, a qualidade de vida das pessoas a partir de sua época ficou muito melhor. Sem contar as muitas vidas poupadas por sua dedicação. Se aquele jovem que abordou Pasteur soubesse de tudo isso, você acha que ele teria falado tudo o que falou?


Fernando Beier

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Prepare-se!











De repente, um carro de fogo puxado por cavalos de fogo os separou um do outro, e Elias foi levado para o céu num redemoinho. 2 Reis 2:11.

      Você consegue imaginar a visão que Eliseu teve do profeta Elias subindo ao céu? Carro com cavalos de fogo e um tornado, tudo junto. Realmente deve ter sido uma cena espetacular.
      O profeta Elias representa aqueles que no dia da volta de Jesus irão para o Céu sem experimentar a morte.
      Você também quer estar vivo quando o nosso Salvador voltar à Terra? Você está preparado para vê-Lo?
      Numa manhã ensolarada de agosto de 1945, muitos japoneses estavam tentando levar a vida normalmente, quando uma das maiores tragédias da história humana aconteceu.
Ninguém na cidade de Hiroshima poderia imaginar o que cairia do céu naquele dia. O alarme de ataque aéreo soou apenas alguns instantes antes da luz branca cauterizante atingir a cidade. Uma bola de fogo gigantesca (o centro da explosão atingiu um calor maior que o da superfície do Sol) se formou. Uma onda de calor varreu a cidade, derretendo aço e derrubando prédios de concreto como se fossem de papelão. As pontes das ferrovias pegaram fogo. Hidrantes quebrados lançaram água que se misturava com a poeira radioativa. Cacos de vidro caíam como chuva. A maioria da população mais próxima da explosão morreu instantaneamente.
      Era a bomba atômica lançada por um avião americano. Jamais se chegará a um número preciso de vítimas daquele holocausto, mas muitos estimam a perda de mais de 150 mil vidas, sem contar os que morreram depois pelos efeitos da radiação.
      A história nos conta que os habitantes de Hiroshima sabiam que um ataque aéreo poderia acontecer a qualquer momento. Eles só não podiam imaginar que espécie de ataque seria. Ninguém estava preparado para o que aconteceu.
      A volta de Jesus também pegará muitos de surpresa. Apesar de todos os avisos da Palavra de Deus, muitos não percebem o perigo que correm.
      Mas você não precisa correr nenhum risco. Entregue sua vida nas mãos de Deus e a experiência de Elias poderá também acontecer com você um dia.


Fernando Beier

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Estado Islâmico decreta que cristãos são seus maiores inimigos









A revista eletrônica Dabiq, publicada pelo Estado Islâmico (EI) para recrutar combatentes de todo o mundo, chega à sua quarta edição. Publicada em vários idiomas, vem se mostrando uma ferramenta útil para atrair ao conflito mais de 12 mil voluntários muçulmanos, de 74 nacionalidades diferentes. Não por acaso, a última de suas 12 páginas traz uma convocação aos simpatizantes de sua causa no mundo todo, para atacar os ocidentais “onde quer que eles possam ser encontrados”.
No artigo “O regresso da escravidão antes da hora”, além de confirmar a escravização de milhares de mulheres e crianças yazidis, justifica essa atitude em relação à minoria curda, afirmando: “foram divididos entre os combatentes do Estado Islâmico conforme a sharia”.
Ao falar sobre a sua “vitória final”, os jihadistas dão um alerta aos “romanos”, termo genérico usado por eles para denominar a Civilização Ocidental. Explicam que sabem que chegarão a uma trégua quando se defrontarem com um inimigo comum, mas que o Ocidente romperá o acordo, assassinando um muçulmano. Segundo a visão islâmica, esse fato iniciará uma batalha, quando surgirá o messias islâmico (Mahdi), e conquistará de vez Constantinopla e Roma.
Desde que anunciou a soberania de seu califado, conquistando territórios no Iraque e na Síria, resgatou o conceito de uma guerra religiosa nos moldes dos embates medievais entre muçulmanos e cristãos. Ao escolherem Roma como símbolo do cristianismo mundial, deixam claro que este é seu inimigo número um.
A reportagem principal fala sobre o conflito final, mas trás o alerta: “Se não chegarmos a esse tempo, então nossos filhos e netos irão alcançá-lo, e eles venderão seus filhos como escravos no mercado de escravos”.
Desde seu surgimento (ainda com o nome de ISIS) o exército jihadista executou milhares de cristãos no Iraque e na Síria. “Em todo o Oriente Médio, nos últimos 10 anos, em média 100 mil cristãos foram assassinados a cada ano. Ou seja, a cada cinco minutos um cristão é assassinado por causa de sua fé”. Esse foi o argumento chocante apresentado pelo líder cristão Gabriel Nadaf ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, em setembro.
Estima-se que 12 milhões de cristãos viviam no Oriente Médio. A ascensão do Estado Islâmico nos últimos três anos gerou uma nova onda de perseguição contra a comunidade cristã em diferentes países, incluindo Egito, Iraque, Líbia, Irã e Síria. Também teve reflexos na África, onde grupos jihadistas também declararam seus califados e intensificaram os ataques contra cristãos.
Fonte: portasabertas

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Será que Deus me perdoa?



 
 
 
 
Você viu como Acabe se tem humilhado diante de Mim? Já que ele está fazendo isso, não será durante a vida dele que vou trazer a desgraça que prometi. 1 Reis 21:29.

      A Bíblia se refere a Acabe da seguinte maneira: “Não houve ninguém que tivesse se entregado tão completamente a fazer coisas erradas, que não agradam ao Senhor, como fez Acabe” (1 Reis 21:25). Sem dúvida, Acabe foi um rei muito mau para o povo de Israel.
      Contudo, depois que o profeta Elias lhe falou do castigo de Deus, Acabe percebeu seus erros e se arrependeu. E Deus, que conhece nosso coração, resolveu não castigá-lo.
      Costumamos dizer que até o pior dos pecadores pode encontrar perdão em Deus. E isso é verdade, pois a Bíblia também diz: “Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, Ele cumprirá a Sua promessa e fará o que é correto: Ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade” (1 João 1:9).
      Uma senhora de certa idade saiu para o quintal com o objetivo de pendurar as roupas que havia acabado de lavar. O quintal estava enlameado pelas chuvas dos últimos dias. Quando ela pendurava a última peça, houve um estalido e o varal se rompeu, levando todas as roupas direto para a lama. Imagine o esforço que a pobre senhora teve para lavar tudo novamente.
      Quando seu marido chegou do trabalho, entrou em casa e percebeu que o jantar não estava na mesa. Faminto depois de um dia cansativo, ele perguntou à esposa, um tanto irritado:
      – O que aconteceu? Por que o jantar não está pronto?
      – Tive problemas com as roupas. – respondeu ela mansamente.
      O marido ficou arrependido do jeito rude de tratar o problema e perguntou:
      – O que houve de errado?
      Sua esposa contou-lhe toda a história. Pensativo, ele disse em tom carinhoso:
      – Você deve ter ficado muito irritada quando aquelas roupas caíram na lama.
      – Sim, um pouco a princípio. Mas enquanto lavava as roupas pela segunda vez, me veio à mente o fato de que muitas vezes Jesus nos lava, e caímos novamente no pecado. Então, Ele precisa lavar-nos inteiramente mais uma vez.
      Que tal ser lavado do pecado neste momento? É só pedir a Jesus que Ele o fará!
 
Fernando Beier

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Fiel em todo tempo















Mas Eu deixarei sete mil pessoas vivas em Israel, isto é, todos aqueles que não adoraram o deus Baal e não beijaram a sua imagem. 1 Reis 19:18.

      Ao fugir de Jezabel, a rainha pagã, o profeta Elias se esqueceu de que Deus continuava ao seu lado. Depois que o próprio Deus o lembrou disso, ele desculpou-se dizendo que estava só, pois não havia mais ninguém fiel em Israel.
      Elias estava enganado, como lemos no verso de hoje.
      Na verdade, durante todas as eras, Deus sempre teve um povo remanescente, fiel a Ele. Pessoas que sofreram por amor a Deus e à Sua palavra.
      Durante o tempo em que os grandes líderes romanos mandavam no mundo, o imperador Galério e o seu prefeito Asclepíades invadiram Antioquia com o intuito de fazer com que os cristãos renunciassem sua fé. Um dos que resistiram firme foi um homem chamado Romano. Asclepíades lhe disse:
      – O seu Cristo crucificado não é mais que um Deus de ontem.
      – Dê-me uma criança de sete anos – respondeu Romano – e o senhor ouvirá o que ela tem a dizer.
      Chamou-se um menino que foi colocado diante de Romano.
      – Diga-me, filho, você acha que devemos adorar só a Cristo, filho de Deus, ou podemos adorar outros deuses?
      – Cristo é o único, o verdadeiro Deus – afirmou o menino. – Nós, crianças, não podemos acreditar na existência de deuses.
      O prefeito Asclepíades foi tomado de espanto diante da resposta do garoto. Irado, perguntou-lhe:
      – Onde você aprendeu essa lição?
      – Com minha mãe – disse a criança.
      O prefeito ficou tão furioso que ordenou que o menino fosse pendurado num tronco e açoitado na frente da mãe. Depois, voltando-se para Romano, disse-lhe:
      – Não tenha dúvida de que uma fogueira será preparada para você e para aquele menino, seu companheiro de rebelião.
      Romano e muitos outros perderam a vida, mas nem a espada nem a fogueira foram capazes de destruir o povo remanescente de Deus.



Fernando Beier

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Cinco argumentos contra o ateísmo















1. A cosmologia moderna indica que o Universo físico teve um ponto inicial de existência. Se o Universo teve um ponto inicial de existência, então ele tem que ter uma Causa não física que exista fora do tempo e do espaço. Logo, é pelo menos plausível que o nosso Universo tenha sido feito do nada pelo Criador.

2. Começando nas estruturas em larga escala no Universo até ao mundo microscópio das partículas subatômicas, a ciência revelou uma ordem espantosa no nosso Universo. O nosso Universo não precisava ser assim: existe muito mais probabilidades de um universo ser caótico do que ser ordenado. Se Deus não existe, seria muito pouco provável que o nosso Universo fosse ordenado. No entanto, a partir das nossas observações e das nossas experiências diretas, sabemos que mentes criam sistemas ordenados, e desde logo, parece muito mais provável que um Agente Racional tenha ordenado o nosso Universo.

3. Evidências recolhidas no limiar da física moderna revelam que se qualquer uma das características do Universo tivesse sido ligeiramente diferente, a vida tal como nós a conhecemos seria impossível. Várias constantes físicas têm o valor certo até a um nível de precisão espantoso. Por exemplo, as forças gravitacionais e as forças eletromagnéticas têm que estar muito bem calibradas até uma parte em 10 elevado a 40, ou 1 em 10000000000000000000000000000000000000000 (1 seguido de 40 zeros). A vida é requintadamente bonita, e como tal, é o tipo de bem complexo que um Agente Racional valorizaria. A vida tem um valor imenso (será preciso fazer um desenho aos humanistas?), e como tal, faz mais sentido que o nosso Universo tenha sido obra de um Agente Poderoso e Racional.

4. A matemática funciona! Ela desempenha um papel fundamental na física e possibilitou inúmeras previsões acertadas que foram confirmadas por observações. Por que as leis da física podem ser escritas na linguagem da matemática? Mais uma vez, não dá para evitar a conclusão de que uma Mente (Mente com a qual os humanos partilham algumas características comuns, embora numa escala infinitamente menor) seja responsável pela composição deste nosso Universo.

5. É espantoso que o Universo seja ordenado, mas é ainda mais espantoso que nós sejamos capazes de o entender. Pode não ser surpreendente para um ateu que nós sejamos suficientemente racionais para sobreviver no nosso meio ambiente mais imediato, no entanto, é muito surpreendente que nós sejamos capazes de descobrir coisas sobre o mundo quântico. O sucesso da ciência depende da correspondência entre nossa mente e a estrutura profunda do nosso mundo. O teísmo cristão consegue explicar essa correspondência, mas o ateísmo apenas assume que o ser humano “teve sorte” e que essa correspondência não tenha qualquer significado. Para o cristão, o Universo pode ser compreendido porque a Mente que fez o Universo conferiu ao ser humano algumas das Suas capacidades (isto é, fomos feitos à Sua imagem). É por isso que o Criador com frequência ordena ao ser humano estudar e analisar a natureza porque, ao fazê-lo com o espírito aberto às evidências, o ser humano facilmente se apercebe de que essa natureza nunca poderia ser obra do acaso, mas sim efeito de um processo criativo intencional.

“Vai ter com a formiga, ó preguiçoso: olha para os seus caminhos, e sê sábio” (Provérbios 6:6). “Olha para a altura das estrelas; quão elevadas estão!” (Jó 22:12). “Sabes tu o tempo em que as cabras monteses têm os filhos, ou consideraste as dores das cervas?” (Jó 39:1). “Tudo o que o Senhor quis, Ele o fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos” (Salmo 135:6).

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Não desista da igreja


 
 
 
 
 
 
 
 
 
       Quando penso na igreja cristã, confesso que me deparo com algo que se revela para mim como um grande desafio. Jesus a estabeleceu com seu sangue, rogou que ali estejamos, afirmou que ela triunfará, mas não raro a igreja demonstra pouco sucesso em refletir o Cristo que a fundou. Por que? Creio que não tenho uma resposta satisfatória, mas me vem a mente algo que o premiado escritor Philip Yancey escreveu em um dos seus livros: "Rejeitei a igreja durante um tempo porque encontrei bem pouca graça ali. Voltei porque não descobri graça em nenhum outro lugar".

          A constatação de Yancey fala fundo ao meu coração. Conheço muito bem os defeitos da igreja, e o quanto ela difere por vezes do ideal apresentado por Jesus. A presença da natureza humana contamina tudo o que está a sua volta. A graça as vezes fica sufocada, ou até mesmo inerte, quando a vontade dos homens sobrepuja a vontade de Deus. Contudo, mesmo em situações assim, a graça é como uma plantinha teimosa no meio do deserto. E por mais surpreendente que seja, o único pedaço de solo fértil em que ela pode vicejar é a igreja.
         Tenho testemunhado os dois lados dessa moeda. Enquanto alguns não encontram tudo o que esperavam da igreja, outros recebem ali o bálsamo que tanto buscavam. No fim, a graça de Deus acaba cumprindo o seu papel de irradiar salvação mesmo diante das densas trevas causadas pelo pecado.
          Se a igreja não lhe parece tudo aquilo que você esperava, lembre-se que a graça ainda está lá, em algum lugar. Talvez você deva buscar essa graça com esforço redobrado.
 
Fernando Beier

domingo, 21 de setembro de 2014

Treinador é demitido por permitir que atletas façam orações












O treinador da equipe de futebol americano de uma escola pública norte americana foi demitido de seu cargo e proibido de entrar na escola depois de permitir que os atletas do time liderado por ele fizessem orações antes e depois dos jogos.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica
Gary Weiss era treinador voluntário do Catalina Foothills High School, em Tucson, Arizona, e conta que foi impedido de continuar seu trabalho após se recusar a cumprir uma determinação dada aos funcionários da escola para “pedir que os jogadores [garotos] parem de orar ou vão perder seus empregos”.
Os administradores distritais afirmam, porém, que a oração voluntária é permitida, mas que os funcionários não podem facilitar ou promover estes momentos entre os estudantes.
Segundo o The Blaze, Weiss se recusou a impedir que os atletas fizessem suas orações, e que sua decisão desagradou à administração escolar. Porém, o treinador afirma que sua preocupação é a de assegurar o direito à liberdade de seus estudantes.
- Minha preocupação é com relação aos direitos das crianças em simplesmente fazerem o que já lhes era assegurado – afirmou o treinador, que nega ter estimulado a realização de qualquer momento de oração e afirma que as orações foram inclusivas, crianças de outras religiões aderiram à oração.
- As orações da equipe de calouros foram recitadas por crianças muçulmanas, crianças judias e crianças cristãs – ressaltou.
Pelas redes sociais, os atletas e outros membros da comunidade escolar reagiram criticando a decisão do distrito em demitir o treinador.

Fonte: Gospel+

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Darwinismo que não funciona...


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Uma luta entre um ácaro e uma formiga foi preservada por milhões de anos (segundo dizem os evolucionistas), pois os animais ficaram presos em uma resina fóssil. O momento do ataque em que o parasita mordeu a cabeça da formiga foi eternizado em um pedaço de âmbar do tamanho de uma moeda de dez centavos e não sofreu deteriorações com o passar dos anos. O pequeno pedaço de âmbar foi adquirido por um colecionador que descobriu o tesouro nos países bálticos, na região nordeste da Europa. De acordo com análises, os animais datam de cerca de 44 a 49 milhões de anos atrás. O ácaro é um dos apenas 14 fósseis conhecidos de um grupo chamado de Laelapidae, cujos parentes modernos muitas vezes vivem entre as folhas caídas no chão das florestas e parasitam formigas. O motivo para que esse parasita seja tão raro de ser encontrado em fósseis é que para ele ser preservado era preciso um contexto muito particular. O ácaro precisava ficar muito tempo em árvores e fica preso na resina que escorre pelos troncos.
 
Comentário: Depois de tantos milhares de anos, verifica-se que a formiga continua a mesma, bem como o ácaro. E agora?

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Só existe um Deus verdadeiro


 
 
 
 
E aí os profetas de Baal vão orar ao seu Deus, e eu orarei ao Senhor. O deus que responder mandando fogo, este é que é Deus. 1 Reis 18:24.

       Foi um desafio e tanto! Elias, o profeta de Deus, contra os quatrocentos e cinqüenta profetas de Baal. Estava em jogo não só a vida de Elias como a própria reputação de Deus.
       Um novilho foi morto e preparado para o sacrifício. Os profetas de Baal (que significa pai dos deuses) começaram seu ritual, invocando o poder do seu deus. Isso era de manhã. O tempo, porém, foi passando e nada de Baal responder. Eles caminhavam e rastejavam ao redor do altar, mas nenhum movimento.
      Ao meio-dia, imagino que os tais profetas já deveriam estar cansados de tanto dançar na frente do novilho. Elias então aproveitou para “alfinetar” os adoradores de Baal: “Vocês precisam gritar mais alto. Pode ser que seu deus esteja dormindo, ou quem sabe viajando por aí.”
       Sem ter outra opção que não fosse seguir o conselho de Elias, os profetas gritaram mais alto, somando a isso o ato de se cortarem com facas, fazendo seu próprio sangue jorrar no chão. Entretanto, nenhuma resposta foi ouvida. Nada aconteceu.
        Foi então a vez de Elias agir. Chamou o povo bem pertinho dele para que ninguém dissesse depois que ele era mágico. Arrumou o altar derrubado pelos adoradores de Baal, colocando doze pedras, conforme o número das tribos de Israel. Armou a lenha e dividiu o novilho em pedaços. Em seguida, pediu que derramassem água sobre o holocausto.
       Então Elias orou: “Senhor, responde-me, para que este povo saiba que Tu, Senhor, és Deus.”
       A cena que se seguiu só seria possível reproduzir num filme com efeitos especiais. Uma grande bola de fogo desceu do céu e desintegrou literalmente todo o holocausto. Não sobrou nem cinza, nem água.
       O resultado de tudo isso? Diz a Bíblia que o povo se ajoelhou e disse: “O Senhor é Deus! O Senhor é Deus!”
       Convido você a orar neste momento dizendo: “Ó Senhor, desejo que Tu sejas o único Deus no altar do meu coração”.


Fernando Beier

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Perseguição aos cristãos na África

02_Nigeria_0430100595.jpg

No último sábado (30), a Portas Abertas foi informada que a cidade de Madagali havia, finalmente, sido dominada pelo califado islâmico liderado por Abubakar Shekau. 

Um número ainda desconhecido de cristãos foi preso. Homens cristãos foram decapitados, as crianças forçadas a se converter ao islã e as mulheres dadas aos insurgentes como "esposas". Um dos pastores em fuga contou à Portas Abertas que sua casa tinha sido bombardeada. Ele teme pelo destino dos cristãos que congregam em sua igreja. 

Os insurgentes já destruíram pelo menos cinco igrejas na área de Madagali. Os cristãos fugiram em massa. Em Gulak, a 25 km ao sudoeste de Madagli, a comunidade cristã foi avisada para que abandonasse a região, pois os insurgentes estão se aproximando. Os refugiados estão tentando chegar a Mubi, ao sul de Madagali, apesar de a área também não ser segura já que tem sofrido vários ataques do Boko Haram. 

Ore para que a graça abundante de Deus abrace a todos os irmãos que enfrentam essas circunstâncias terríveis e que eles possam se aproximar do Senhor neste tempo. 

“Os meus perseguidores aproximam-se com más intenções; mas estão distantes da tua lei. Tu, porém, Senhor, estás perto e todos os teus mandamentos são verdadeiros.” Salmos 119.150


Fonte: portasabertas.com

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Deus atua de maneiras diferentes - parte 2













Não faltou farinha na tigela nem azeito no jarro. 1 Reis 17:16.

      George Müller ficou conhecido como o homem que tinha as orações sempre respondidas. Certa vez, enquanto viajava de navio para o Canadá, foi conversar com o comandante
      – Comandante – disse Müller –, como o senhor sabe, hoje é quarta-feira e vim dizer-lhe que preciso estar em Quebec no sábado à tarde.
      – Impossível! – respondeu o comandante.
      – Muito bem, se o seu navio não pode levar-me, Deus achará um outro meio. Durante os últimos 57 anos nunca deixei de honrar um compromisso.
      – Eu realmente gostaria de ajudá-lo, mas o que posso fazer?
Müller encarou o homem e disse com voz firme:
      – Venha aqui dentro que nós vamos orar.
      O comandante pensou por um momento que Müller estivesse bêbado ou que havia enlouquecido. Então ele disse:
      – Sr. Müller, o senhor não percebe que a neblina está muito espessa?
      – Não – respondeu ele –, os meus olhos não estão na neblina, mas no Deus vivo que governa todas as circunstâncias de nossa vida.
      O Sr. Müller caiu de joelhos e orou de forma simples: “Senhor, se for da Tua vontade, retira esta neblina dentro de cinco minutos. Tu sabes que tenho um compromisso em Quebec no sábado. Creio também que seja esta a Tua vontade.”
      Quando o comandante ia pronunciar alguma forma de oração, Müller o interrompeu, dizendo:
      – Comandante, primeiro o senhor não crê que Deus possa fazer o que pedi, e, em segundo lugar, creio que Ele já o fez. Conheço o meu Deus há 57 anos e todos os dias tenho uma audiência com Ele. Levante-se, por favor, abra a porta e verá que a neblina já passou.
      O comandante olhou atônito para fora e percebeu que Müller estava certo. No sábado à tarde, George Müller estava em Quebec.
      Algum tempo depois, aquele comandante disse a alguém: “O que aconteceu naquele dia foi tão extraordinário, que ocasionou uma transformação em minha vida como cristão”.

      Deus ainda realiza feitos incríveis na vida de seus filhos. Que tal entregar seu coração a Ele mais uma vez?

Fernando Beier