segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A Visão da Natureza Humana em Dostoievski


























Por Elben Cesar

No final do século passado, o filósofo francês Alain Finkielkraut, autor de "A humanidade perdida: ensaio sobre o século 20", disse que "seria melhor que começássemos o século 21 um pouco mais pessimistas, porque o otimismo já testamos e não deu certo".


A visão pessimista da natureza humana é muito mais sábia do que a visão otimista. E é isso que o escritor russo Fiódor Dostoievski (1821 – 1881) deixa claro em seus mais famosos romances: "Memórias do subsolo" (1865), "Crime e castigo" (1866), "O idiota" (1868), "Os demônios" (1871), e principalmente em "Os irmãos Karamazov" (1880). Este último é considerado por Freud o maior romance escrito. Dostoievski é um dos poucos escritores a fazer uso da palavra pecado. Para ele, "uma das formas mais pecaminosas de enfrentar o pecado é negar a condição pecadora -- o que define o pecado, entre outras formas, é a própria denegação; em outras palavras, a forma mais moralmente errada de enfrentar a condição do mal é não atravessá-la".


Dostoievski nasceu em Moscou, no dia 30 de outubro de 1821, e morreu em São Petersburgo no dia 28 de janeiro de 1881, dois meses depois de completar 59 anos. Foi um vizinho da morte a vida inteira: perdeu a mãe (tuberculosa) aos 16 anos, o pai (assassinado) aos 18, a mulher e o irmão aos 43 anos e o filho Alexei, de três anos, de sua segunda esposa, aos 57. Enfrentou situações muito difíceis. Preso e condenado à morte aos 28 anos por participar de reuniões subversivas, quando já era engenheiro e subtenente do exército, teve na última hora a pena comutada e passou nove anos na Sibéria, quatro no presídio de Onsk e cinco como soldado raso. Tinha constantes problemas de saúde (crises de epilepsia) e econômicos (dívidas a pagar) e uma fraqueza pelo jogo. Era cristão convicto (Igreja Ortodoxa Russa) e dizia que “a única forma de acesso a Deus era pela metanoia (conversão), portanto, pelo toque do sobrenatural”. A respeito da pessoa de Jesus, Dostoievski afirmava “não haver nada de mais belo, de mais profundo e de mais perfeito do que Cristo”. E acrescentou: “Não só não há nada, mas nem sequer pode haver”. Foi ele quem disse que, “partindo do pressuposto de que Deus não existe, de que a alma é mortal, então tudo é permitido”. É dele esta exortação: “Ame toda a criação de Deus, ela inteira e cada grão de areia nela. Ame cada folha, cada raio de luz de Deus. Se amar tudo, perceberá o mistério divino nas coisas”. O filósofo Friedrich Nietzsche referia-se a Dostoievski como “o único psicólogo com que tenho algo a aprender: ele pertence às inesperadas felicidades da minha vida”.

Fonte: Ultimato.com.br

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Lembranças Importantes




“Lembrem deste dia, o dia em que vocês saíram do Egito, onde eram escravos. Este é o dia em que o Senhor os tirou de lá pelo Seu grande poder.” Êxodo 13:3.

Em 1525, Martinho Lutero ajudou algumas freiras a fugir de um convento. Uma delas, Catarina von Bora, tornou-se depois sua esposa. Desde então, ela lhe foi uma auxiliadora, animando-o quando as coisas pareciam escuras.
Na vida de Lutero, houve momentos em que tudo parecia dar errado. Ele sofria com a idéia de que, apesar de o povo ter a Bíblia nas mãos, muitos não levavam uma vida piedosa. Um certo príncipe que ele havia convertido tomou uma segunda esposa e ainda tentou mentir quanto ao fato. O rei da França queimava seus seguidores em Paris e outro fazia o mesmo na Holanda.
Numa manhã, sentado em sua poltrona em Wittenberg, Lutero sentiu-se muito desanimado. Não conseguia ver uma luz no fim do túnel. Depois que ele se retirou para o escritório, sua esposa se vestiu toda de preto e então, bateu à porta. Lutero ficou assustado ao ver Catarina naquele traje e perguntou:
– Morreu alguém?
– Sim.
– Quem?
– Deus.
– O que você quer dizer?
– Bem, você anda por aí tão triste e pesaroso que tenho a impressão de que Deus deve estar morto, e de que você perdeu toda a confiança nEle.
Lutero sorriu e disse:
– Obrigado, minha querida. Você é sempre o meu bom anjo. Obviamente, Deus não está morto e nunca devemos nos esquecer disto.
Moisés também disse ao povo de Israel que eles não deveriam esquecer nunca o que Deus fizera por eles: Haviam saído da escravidão e sua liberdade representava o cuidado e a atenção de Deus.
Que você nunca se esqueça do amor de Jesus!

Fernando Beier

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Usar Camisinha Pode Salvar Espécies em Extinção?















Quem disse que o sexo não tem relação com a sustentabilidade? O CBD – Centro para Diversidade Biológica, dos EUA, quer provar o contrário e, por isso, lançou o projetoEndangered Species Condoms (Camisinhas das Espécies Ameaçadas, em português).
Baseada em estudos científicos, a iniciativa pretende mostrar para as pessoas que usar camisinha pode ajudar a salvar espécies que estão ameaçadas de extinção em todo o planeta. Como? A lógica é simples: segundo eles, quanto mais pessoas existir no mundo, mais poluição e menos espaço e recursos naturais haverá para os outros seres vivos.

Assim, ao usar preservativos na hora do sexo, estaríamos ajudando a diminuir as taxas de natalidade no mundo e, consequentemente, evitando o desaparecimento de:
– 12% das espécies de mamíferos e aves;
– 31% dos répteis;
– 30% dos anfíbios e
– 37% dos peixes que, hoje, estão ameaçados.
Será? Para o CBD a ideia faz sentido e, por isso, a entidade está distribuindo desde fevereiro asCamisinhas das Espécies Ameaçadas para a população. São seis modelos de pacote, que estampam seis espécies diferentes: urso polar, peixe, coruja, besouro, jaguar e sapo. As embalagens ainda trazem informações sobre cada animal e frases “engraçadinhas” que rimam o uso da camisinha com o nome da espécie que aparece no pacote.
Até agora, a campanha distribuiu mais de 250 mil camisinhas, de graça, em 50 estados norte-americanos.  Mesmo que a teoria do CBD sobre a preservação das espécies esteja furada, uma coisa é certa: eles estão incentivando o sexo seguro no país. 
Comentário: Me desculpe, mas a nova onda de salve-o-planeta-custe-o-que-custar rende argumentos absurdos e espalhafatosos. Usar camisinha para salvar os animais? Que tal tocar no ponto onde realmente precisamos mudar: economizar na água potável, não jogar lixo no chão, andar mais de bicicleta e menos de carro, plantar árvores em vez de cortá-las (alguns não gostam da sujeira que elas fazem no quintal). Sem contar que queremos salvar muitos animais, e comemos milhares deles todos os anos. 

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Ativista do Ateísmo Defendeu Inocência de Pedófilo


























Como sempre acontece, os militantes ateus só se importam com a pedofilia quando esta é praticada por homossexuais dentro das igrejas. Quando os mesmos homossexuais abusam crianças fora das igrejas, então os militantes ateus já não têm problemas com isso. Por isso é que desde o princípio se viu que toda a indignação contra os abusos a crianças católicas por parte de padres homossexuais era uma fachada. Os militantes não se preocupam com as crianças; eles as usam como forma de atacar o Cristianismo. Asa Heuser, ativista ateia que está envolvida nos principais movimentos de ateísmo e secularismo [...], em movimentos como o UNA, a Liga Humanista Secular, a Atea, entre outros, e que em 2009 foi desmascarada por ter se amasiado com um pedófilo, mas que até ali não havia sido formalmente condenado, e por ter simulado ser luterana para seu marido auferir clientela como veterinário, conforme reportagem da Veja, defendeu a inocência do pedófilo Haroldo Galves, mesmo depois de sua condenação em primeira instância.

[Na imagem] abaixo, retirad[a] tempos atrás de uma comunidade do Orkut contra a pedofilia, Asa Heuser defende a inocência de Haroldo Galves, que acabou tendo sua condenação confirmada semana passada pelo crime de pornografia infantil:

[Clique na imagem para vê-la ampliada]

Se a situação de Asa já era ruim, piorou agora que Haroldo teve sua pena confirmada e publicada no site do Tribunal de Justiça. Asa está envolvida até o pescoço com o movimento ateu, e sua conduta no Orkut simplesmente a desmoraliza não somente enquanto pessoa - que não é o objetivo deste blogueiro - mas a desmoraliza enquanto líder de movimentos ateus, contra o que devemos resistir bravamente, e cujo intuito é tão somente destruir os fundamentos cristãos de nossa sociedade e substituí-los por uma volúvel moral secular.

Esses líderes ateus gostam muito de condenar a pedofilia da seita do Vaticano II, mas não olham para seu próprio umbigo. É importante divulgar esta postagem a fim de demonstrar como o movimento ateu não desfruta de qualquer idoneidade e credibilidade, já que suas lideranças se envolvem sentimentalmente com pedófilos, defendendo-os descaradamente, sem o menor pudor.

Fonte: Darwinismo

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Caim e Abel

Poucos livros exerceram tanta influência nas artes de um modo em geral quanto a Bíblia. E dentre as clássicas narrativas que mais inspiraram os artistas ao longo dos tempos, uma delas refere-se ao relato de Caim e Abel, registrado no livro do Gênesis. A imagens a seguir, todas inspiradas nesta passagem bíblica, refletem um pouco o impacto que o livro judaico-cristão causou na mente de alguns artistas.



Fonte: humordarwinista

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011